A área da cirurgia plástica vai além das questões estéticas, e no caso do tratamento de pacientes com queimaduras, é de suma importância o envolvimento de uma equipe multiprofissional. Visto que a cirurgia reparadora além de tratar a estrutura física do paciente queimado, auxilia também a cuidar do seu estado emocional, pois muitas vezes há deformação parcial ou total de suas características.

O papel do Cirurgião Plástico é acompanhar os curativos diários, retirada de tecidos necróticos, realização de enxertos de pele e ainda avaliar, planejar e executar cirurgias reparadoras.

A queimadura pode ser classificada de acordo com sua sua extensão (área de superfície corporal queimada) e profundidade (grau de destruição celular, neste caso 4 graus de profundidade).

O Dr. Felipe Rezende, que faz parte da equipe de Cirurgiões Plásticos do Centro de Tratamento de Queimados do Hospital Municipal Pedro II no Rio de Janeiro, salienta que o atendimento a um paciente que sofreu queimaduras, deve ser realizado já na fase aguda, para obtermos melhores resultados, ou na fase tardia.

Na fase aguda são realizados cuidados locais básicos da ferida para evitar infecções e maiores danos aos tecidos.

O Dr. Felipe Rezende ressalta que, após os cuidados iniciais, será avaliado a necessidade de tratamento cirúrgico reparador dos tecidos afetados pela queimadura que pode ser realizado através de enxertos de pele ou retalhos. A cirurgia plástica tem papel fundamental no tratamento inicial, bem como no tratamento tardio com o objetivo de reduzir sequelas, como retrações de cicatrizes e diminuir o estigma que causa grande desconforto aos pacientes.

Hsites, Especializados em Web para a área Médica

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?